Chade: 7 soldados mortos e 15 feridos no novo ataque do Boko Haram - JeuneAfrique.com

Os membros nigerianos do Boko Haram atacaram a cidade de Bouhama, na região do Lago Chade, na noite de domingo a segunda-feira. O comunicado divulgado pelo exército equivalia a sete soldados chadianos mortos e quinze feridos, e 63 morto entre os "terroristas".

"Os terroristas atacaram as nossas forças à meia-noite, na cidade de Bouhama torno Kaigakindjitia na área do Lago Chade", disse o coronel Azem Bermandoa, porta-voz do exército, dizendo que "terroristas foram mortos 63 ". O ministro da Defesa do Chade Daoud Yaya Brahim eo Chefe do Estado Maior da Armada Taher Erda foram despachados 15 segunda-feira Abril "avaliar a situação", de acordo com o coronel Azem.

Chefe recentemente nomeado do Estado-Maior das Forças ArmadasTaher Erda é amiga íntima do presidente Idriss Deby Itno. Ele substituiu Brahim Seid Mahama 22 em março passado. Ele havia sido demitido depois de bela jogada pela Boko Haram no sudoeste do país em que 23 soldados chadianos foram mortos, um dos ataques mais mortais sofridas pelo exército desde o início do lutar contra os islamistas.

Ressurgimento de ataques

A região do Lago Chade é palco de novos ataques do Boko Haram. Em um relatório divulgado recentemente, a Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH) preocupado com o ressurgimento de ataques do grupo jihadista na região do Lago Chade, especialmente no lado chadiano. "Chade, relativamente poupado pela ameaça Boko Haram depois dos ataques mortais de 2015, é novamente o foco do grupo terrorista desde meados do 2018", observou o relatório.

Desde junho 2018, pelo menos sete ataques Boko Haram ocorreram no território do Chade, onde os combatentes jihadistas nigerianos quase não intervieram por vários meses. "As ameaças de Boko Haram contra Chad são extremamente grave e preocupante após dois anos de calma", também alertou o presidente da Liga do Chade para os Direitos Humanos (LTDH), Me Midaye Guerimbaye, no mesmo relatório.

Luta regional

A insurgência Boko Haram, que começou em 2009 no nordeste da Nigéria, já custou mais de mortes 27 000 1,8 e milhões de deslocados internos no país, e ganhou Níger, Chade e no vizinho Camarões. O 10 de abril, Diffa, a grande cidade do sudeste do Níger, foi atingido por jihadistas nigerianos. Nos Camarões, pelo menos sete soldados foram mortos desde o início do mês no norte do país, onde são enviados para combater os ataques do grupo jihadista.

Desde 2015, países da região lutam contra o Boko Haram na Força Multinacional Conjunta (FMM), uma coalizão regional engajada na região do Lago Chade com a ajuda de comitês de vigilância compostos por cidadãos locais.

Este artigo apareceu primeiro em JOVENS ÁFRICA